Publicidade

UPAs da Grande Natal sofrem com superlotação e alta demanda de atendimentos

Por LivreTV Notícias em 29/06/2022 às 20:59:28
Pacientes esperam regulações para hospitais e houve ainda aumento diário de atendimentos em unidades como de Macaíba e São José de Mipibu. Upa de Macaíba está com alta demanda de atendimentos por dia

Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Região Metropolitana de Natal estão superlotadas e atendendo acima da capacidade. Dois desses exemplos são as UPAs Aluízio Alves, em Macaíba, e a Geraldo Souza, em São José de Mipibu, que nesta quarta-feira (29) registraram grande movimentação.

Além disso, as UPAS sofrem ainda com a escassez de vagas nos hospitais públicos e não conseguem realizar transferências de pacientes (veja mais abaixo o que diz a Secretaria Estadual de Saúde).

Esse é o caso por exemplo da bebê Isabela, que tem menos de 20 dias de vida. Ela está internada na UPA Aluízio Alves, em Macaíba, e precisa ser transferida para uma UTI NeoNatal.

"Eu quero a saúde da minha filha, só isso. É minha primeira filha. Não quero outra coisa. Eu sou grande, posso ir para algum canto, outro hospital. Ela não sabe de nada, a bichinha está ali dentro, é um sofrimento muito grande. Sempre que eu entro para vê-la, eu fico com meu coração despedaçado, porque não sei o que fazer. Eu peço ajuda a um, a outro", conta Bismarck Ferreira, pai de Isabela.

"O pessoal da UPA está me atendendo muito bem, eles estão fazendo a parte deles. Tem uma médica que fez de tudo. Minha filha estava praticamente no corredor e a médica conseguiu colocar ela na sala amarela, mas lá tem gente com dengue, chikungunya, todo tipo de doença".

Isabela tem menos de 20 dias de vida e aguarda transferência para UTI NeoNatal

Cedida

As principais causas dos atendimentos são arboviroses e síndromes respiratórias, segundo as direções das unidades. Diante da grande quantidade de antedimentos e internações, há uma piora também no serviço oferecido, o que preocupa muitas famílias.

"A gente pede uma urgência porque a gente está com medo de acontecer o pior. A gente está muito nervoso, apreensivo", desabafou Joelma Dantas, que está com a mãe, Marineide Dantas, de 59 anos, internada na UPA de Macaíba.

Marineide infartou e está com edema no pulmão. Ela precisa ser transferida para uma UTI Cardiológica.

Lotação

Segundo a direção da UPA de Macaíba, nesta semana a média de atendimentos foi de 200 pacientes por dia. Nesta quarta, estavam ocupados oito leitos na sala amarela, quatro na sala vermelha, além de dois pacientes em isolamento.

"Todas as UPAS estão superlotadas nesse momento, as unidade básicas estão superlotadas e cabe a nós buscar a melhor forma de atender com rapidez. E a rapidez nem sempre é entendida pela população", explicou o diretor da UPA de Macaíba, Agustinho Azevedo.

São José de Mipibu

Em São José de Mipibu, a UPA também sofre com a alta demanda. A agricultora Daiane Dantas está com a avó de 83 anos precisando ser transferida para um hospital de referência por causa de um nódulo na garganta. Além disso, a filha dela, de 1 ano e 2 meses, tambem precisou de uma sutura após ser mordida por um cachorro e não teve o atendimento necessário.

"Quando alguém veio atender ela, não tinha aparelho esterelizado, e não tinha uma linha de sutura. Pedimos um encaminhamento para outra unidade, não deram, e não passaram nada para dor. Eu fui com meu esposo para UPA de Parnamirim, que não tinha a injeção, mas atenderam a gente muito bem. E de lá a gente foi pra UPA da Esperança, onde ela recebeu atendimento", explicou a agricultora Daiane Deise de Morais Dantas.

Criança foi atacada por cachorro e unidade não tinha material esterelizado nem sutura para fazer

Cedido pela família

"Minha vó tambem está internada, é outra luta que estamos tendo, porque ela está desde terça-feira passada. Ela chegou andandando, falando, com cansaço. E aí aplicaram injeção nela para melhorar. Hoje minha vó não fala, não come e a cada dia está piorando. Ela está morrendo e não tem coisa pior pro ser humano que a gente ver alguém que a gente ama morrendo na nossa frente sem poder fazer nada".

O que dizem as autoridades

Sobre as duas pacientes mostradas na UPA de Macaíba, a Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) disse que elas estão reguladas aguardando vaga em UTI. A pasta informou que está fazendo o possível para que elas sejam transferidas em breve.

No caso das duas pacientes atendidas na UPA de São José de Mipibu, a prefeitura da cidade informou que está tomando todas as medidas necessárias para evitar a superlotação. O Município disse ainda que houve uma engano sobre a falta de kit para sutura, que existe o material na unidade e que foi aberto um processo administrativo interno para avaliar a atuação do profissional que informou não haver o kit.

Sobre a senhora que não foi transferida, a Secretaria de Saúde da cidade informou que a paciente está estável, fez uma tomografia no hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim, e aguarda o laudo, que ainda não foi liberado.

Quanto à lotação, a secretaria disse que o aumento de casos de arboviroses contribuem para o aumento de usuários na unidade, e que 70% dos atendimentos realizados na UPA poderiam ser resolvidos nas unidades básicas de saúde.

Vídeos mais assistidos do g1 RN
Comunicar erro
Publicidade
LivreTV

Comentários

Publicidade